Glossário

imprimir

A

Acabamento
Etapas de beneficiamento pelas quais passa o papel após a enroladeira da máquina de papel, tais como calandragem, corte e bobina.
Alto fuste
Corte realizado em árvores de grandes dimensões
Alvejamento
Operação composta de uma seqüência de tratamentos físico e químico, que visa aprimorar as propriedades das pastas a ela submetida. O mesmo que branqueamento.
Alvura
Característica óptica apresentada pelo papel, cujo grau é medido pelo fator de reflectância do material a uma luz azul, em condições padronizadas.
Amido
Carboidrato de estrutura molecular semelhante à celulose, empregado para melhorar as propriedades mecânicas superficiais do papel, ou como adesivo para a colagem.
Aparas
Sobras resultantes dos cortes finais de acabamento das folhas ou rolos de papel. Na indústria de celulose e papel, também são chamados de aparas papéis já usados, recolhidos para reciclagem.
Arrancamento
Ruptura da superfície do papel durante impressão. Ocorre quando uma força de tração perpendicular externa, aplicada à superfície, é maior que a coesão do papel.
Aspereza
Grau de irregularidade da superfície do papel, em relação a outra superfície idealmente lisa e plana.

B

Benday
Área de impressão reticulada.
Branqueamento
Operação composta de uma seqüência de tratamentos físico e químico, que visa aprimorar as propriedades das pastas a ela submetida. O mesmo que alvejamento.
Breu
Produto natural, sólido e resinoso, extraído de árvores da família das pináceas. Na fabricação de papel, são usados os breus de goma, de madeira e de tall-oil. O mesmo que colofônia.

C

Caixa de entrada
Caixa localizada na cabeceira da máquina de papel, que distribui uniforme e continuamente a massa diluída em toda a largura da tela da mesa plana.
Caixa de sucção
Caixas de vácuo, localizadas debaixo da tela e no final da mesa plana, com a finalidade de retirar água, ainda em abundância, da folha que se vai formando sobre a tela.
Calagem
Correção da acidez do solo através da adição de cal.
Calandra
Conjunto de rolos superpostos, entre os quais passa o papel, de forma a lhe proporcionar uma superfície mais lisa ou acetinada. A calandra pode pertencer ao conjunto da máquina de papel, ou ser um equipamento à parte.
Calandragem
Operação realizada por cilindros de aço destinada a alisar o papel.
Caldeira de recuperação
Equipamento onde se queima a lixívia, ou licor negro, visando ao aproveitamento de algum composto químico e à geração de vapor.
Cargas
Materiais minerais de baixa granulometria, incorporados à massa celulósica.
Cavacos
Lascas de madeira com dimensões adequadas para o processamento.
Celulose
Material fibroso obtido da madeira ou de outros vegetais, depois da remoção da lignina e demais componentes. Na indústria de celulose e papel, muitas vezes refere-se à massa celulósica. O mesmo que polpa.
Chapa
Matriz metálica de impressão off-set onde são gravadas as imagens dos fotolitos.
Cilindros resfriadores
Cilindros em cujo interior circula água em temperatura natural, localizados no final da bateria dos cilindros secadores. Os cilindros têm o objetivo de resfriar o papel.
Cilindros secadores
Cilindros em bateria, aquecidos por vapor, em cuja superfície passa o papel, geralmente prensado por feltros.
Clichê
Matriz metálica em alto-relevo.
CMYK
Cyan, Magenta, Yellow e Black.
Coifa de exaustão
Capota metálica que cobre a área de secaria da máquina, com o objetivo de captar o ar saturado de umidade, desprendido do conjunto de secadores.
Colagem interna
Resulta da adição de produtos químicos à massa, durante sua preparação.
Colagem superficial
Envolve a aplicação de substâncias formadoras de película na superfície dos papéis ou papelões.
Colofônia
Produto natural, sólido e resinoso, extraído de árvores da família das pináceas. Na fabricação de papel, são usados os breus de goma, de madeira e de tall-oil. O mesmo que breu.
Concentração
Percentagem de material sólido contido na suspensão. O mesmo que Consistência.
Coníferas
Classe de plantas à qual pertence o gênero Pinus, que fornece fibras longas.
Consistência
Percentagem de material sólido contido na suspensão. O mesmo que concentração.
Corantes
Produtos adicionados às pastas, a fim de colori-las; obtidos por processo de síntese orgânica.
Cortadeira
Máquina usada para cortar as bobinas em folhas; possui facas circulares e rotativas para o corte na direção longitudinal e facões planos para os cortes transversais.
Cozimento
Operação que ocorre dentro do digestor, objetivando a desagregação da madeira por meio de reações químicas.
Cozinhador
Equipamento onde são cozidos os cavacos já impregnados de licores químicos, a fim de desintegrá-los para obter a celulose. O mesmo que Digestor.
Cromalin
Sistemafoto-mecânico de prova de cores.
Cubagem
Medição de um volume de toras.

D

Depuradores
Equipamentos removedores de sujeiras e rejeitos da massa.
Derrama
Despojamento dos ramos das árvores.
Desagregador
Equipamento empregado na separação de fibras de aparas e papéis velhos, bem como na homogeneização dessas fibras com materiais não-fibrosos, como aditivos químicos e cargas. Também chamado pulper.
Desaguamento
Operação de remoção de água das pastas, a fim de obter 90% de consistência.
Descascador
Equipamento usado para retirar a casca da tora.
Descascamento
Retirada das camadas exteriores do tronco.
Desfibrador
Equipamento que recebe madeira em forma de toras ou cavacos e, por processo mecânico, a reduz à pasta.
Desfibramento
Ato de reduzir à pasta toras ou cavacos de madeira.
Desintegrador
Equipamento utilizado na reciclagem de papéis e papelões.
Deslignificação
Ato de remover a lignina.
Destintamento
Operação de remoção da tinta de papéis para reciclagem. Atualmente inclui as etapas de seleção, desfibramento, cozimento, lavagem, branqueamento, refinação e peneiramento.
Digestor
Equipamento onde são cozidos os cavacos já impregnados de licores químicos, a fim de desintegrá-los para obter a celulose. O mesmo que cozinhador.
Direção de fabricação
Direção do papel, que corresponde ao sentido do movimento da folha contínua na máquina de papel; direção longitudinal.
Direção transversal
Direção no plano do papel, que corresponde à direção perpendicular ao movimento da folha contínua na máquina de papel.
Dispersor
Equipamento empregado no processamento de aparas, que visa neutralizar os efeitos perniciosos que alguns materiais poderiam causar.
Dupla tela
Aperfeiçoamento da mesa plana, onde a folha se forma entre duas superfícies.

E

Enraizamento de estacas
Formação de mudas através da extração de brotos provinientes de cortes de árvores de dois anos.
Enroladeira
Parte final da máquina de papel, onde a folha é enrolada.
Escolha
Operação de separar manualmente as folhas defeituosas de papel.
Estilhas
Feixes de fibras não-desfeitos; sua ocorrência nas pastas é considerada impureza. O mesmo que palitos.

F

Faca
Ferramenta constituída de lâminas que realizam cortes especiais e vincos.
Feltros
Tecidos que proporcionam um contato ideal entre a folha de papel e os cilindros secadores; atualmente, com o progresso da produção de fibras sintéticas, esses tecidos vêm sofrendo grande aperfeiçoamento.
Fibras
Estruturas alongadas, formadas por uma célula vegetal de tamanho microscópico, mais comprida do que larga, oca e com paredes de espessura variável. É a principal matéria-prima da indústria de papel e celulose, e pode ser obtida da madeira, de plantas anuais, de material sintético, ou ainda reciclada de papéis velhos.
Fibras anuais
Fibras adquiridas de plantas anuais, como trigo ou cana.
Fibras curtas
Fibras em geral obtidas de eucaliptos.
Fibras longas
Fibras obtidas de pinus.
Fibras recicladas
Fibras obtidas a partir de aparas ou papéis usados; também são chamadas de fibras secundárias.
Fibras sintéticas
Fibras elaboradas a partir de polímeros sintéticos.
Fibrilação
Esgarçamento das fibras, provocado para aumentar o contato com o meio líquido e permitir maior ligação entre elas.
Filigrana
Desenho ou letreiro que se observa numa folha de papel, por transparência. É realizada pelo rolo bailarino quando a folha ainda se encontra em formação. O mesmo que marca d'água.
Finos
Partículas de material celulósico não-fibroso ou de minúsculos pedaços de fibras, resultantes da refinagem da massa. Podem-se incluir também as partículas de carga mineral e outros aditivos.
Flexografia
Sistema de impressão que utiliza matriz de borracha em alto-relevo, permitindo impressão em superfícies irregulares.
Floculante
Produto capaz de aglomerar os finos da massa, a fim de evitar sua remoção.
Flotação
Processo quimimecânico de separação de partículas, mediante a aplicação de uma espuma que as arrasta.
Foil
Régua de material plástico, acoplada à mesa plana da máquina de papel, sob a tela, tocando-a ligeiramente, com a incumbência de provocar o desaguamento da massa que está sobre a tela.
Folhosas
Designação comum das plantas que fornecem fibras curtas, dentre as quais os eucaliptos Fourdrinier: Nome pelo qual é conhecida a máquina de papel contínua, do sistema plano; inventada pelo francês Louis Robert e aperfeiçoada pelos irmãos Henrique e SearlyFourdrinier.
Fotolito
Película fotográfica utilizada para gravação das matrizes de impressão.
Fracionamento
Separação, através de peneira, de fibras recicladas longas das curtas.

G

Ganho de Ponto
Ampliação dos pontos da retícula devido a problemas na reprodução do fotolito ou na impressão.
Gramatura
Peso do papel em g/m2.
Guilhotina
Máquina de acabamento usada para o corte intermitente de uma quantidade de folhas; seu corte é mais preciso e perfeito que o da cortadeira.

H

Holandesa
Equipamento destinado à refinação da massa, através de movimento circular provocado pelo tambor rotativo provido de um conjunto de facas. Apesar dos modernos refinadores, a holandesa é imprescindível na produção de muitos papéis especiais.
Hot-Stamping
Sistema de gravação direta no papel, que funciona com a sensibilização à quente de uma película colorida ou metálica através de um clichê.

I

Impregnação
Fase de tratamento dado às toras, cavacos ou outros materiais fibrosos, visando à absorção de algum componente químico.

L

Lado da tela
Face da folha que esteve em contato com a tela da seção formadora.
Lado do feltro
Face da folha oposta ao lado da tela.
Lavagem
(1) Processo mecânico de remoção de partículas de tinta já separadas quimicamente da massa. (2) Processo de remoção do licor residual e demais impurezas solúveis de pastas químicas.
Licor branco
Licor inicial de cozimento, composto de água mais reagentes.
Licor negro
Licor resultante do cozimento de cavacos, recuperado em parte como licor verde, e em parte como combustível para a caldeira.
Licor verde
Parte do licor preto que pode ser utilizada após tratamento, convertendo-se em licor branco.
Lignina
Elemento aglutinante das fibras da madeira e da maioria dos vegetais. Se exposta ao ar, adquire tom amarelado, sendo, por esse motivo, aconselhável sua eliminação das pastas para papel.
Limpador
Equipamento usado na remoção de impurezas da massa celulósica.
Linhatura
Quantidade de pontos de retícula por centímetro ou polegada linear.
Lixívias
Licores de cozimento utilizados nos processos químicos de polpação. O mesmo que licor negro.
Lombada
Lateral de um material encadernado que tem função de dobra.
Lombada Canoa
Lombada com formato triangular, encadernamento grampeado, tipo brochura.
Lombada Quadrada
Lombada com formato quadrado devido ao método de encadernamento.

M

Marca de corte
Indicação no impresso que indica o local do refili.
Massa
Nome genérico dado ao material em suspensão; diz-se massa gorda quando está muito refinada e massa magra quando passou por pouco refino.
Match Print
Sistema foto-químico de prova de cores.
Materiais proibitivos
Materiais constituintes de determinados papéis, que impedem sua reciclagem.
Mesa plana
Parte da máquina de papel tipo Fourdrinier onde a folha é formada.
Micrômetro
Instrumento de medição de superfícies planas, usado para medir a espessura da folha de papel.
Moiré
Efeito ótico gerado pela sobreposição incorreta de retículas.

N

Nip
Linha de menor distância entre dois rolos de prensa.

O

Off-set
Sistema de impressão que utiliza como princípio básico a repulsão entre tinta e água.

P

Palitos
Feixes de fibras não-desfeitos; sua ocorrência nas pastas é considerada impureza. O mesmo que estilhas.
Pantone
Catálogo de cores especiais.
Papel Kraft
Papel feito somente a partir de polpa de madeira, por processo especial, de textura espessa utilizado para embrulhos e multifoliados, e como material de revestimento.
Papelão
Produto à base de celulose semi-rígido ou rígido, utilizado na confecção de embalagens.
Pasta mecânica, ou mecânica de mó ou de rebolo
Pasta resultante de polpação por processo mecânico.
Peneiramento
Operação de retirada de impurezas através de sua retenção em peneiras de diferentes tipos de aberturas. Ocorre na separação de fibras, bem como na limpeza da massa.
Picador
Equipamento utilizado para reduzir toras de madeiras a cavacos.
Picagem
Processo de redução de toras a cavacos.
Pigmentos
Sólidos coloridos, finamente pulverizados, obtidos a partir de minerais.
Plantas fibrosas anuais
Espécies vegetais, como algodão, linho e linteres, usadas na obtenção de fibras.
Poço da tela
Poço localizado abaixo e no final da mesa plana, que recebe todos os refilos para retorná-los ao circuito.
Polpa
Material fibroso obtido da madeira ou de outros vegetais, depois da remoção da lignina e demais componentes. Na indústria de celulose e papel, muitas vezes refere-se à massa celulósica. O mesmo que celulose.
Polpação
Processo que separa as fibras da matéria-prima, não só umas das outras como também de lignina que as une; divide-se em dois grandes grupos: polpações químicas e polpações de alto rendimento.
Polpação mecânica
Processo que separa as fibras através da ruptura das ligações entre elas, mediante o uso de forças de cisalhamento.
Polpação quimimecânica
Processo que confere inicialmente um tratamento químico à matéria-prima, para em seguida desfibrá-la.
Polpação quimitermomecânica
Processo que emprega produtos químicos, calor e força mecânica no desagregamento das fibras da madeira.
Polpação semiquímica
Processo tradicional de cozimento químico, com redução do tempo de processamento, da temperatura de cozimento ou da quantidade de reagentes.
Polpação termomecânica
Processo que submete os cavacos a aquecimento sob pressão, para, em seguida, desagregá-los.
Polpações de alto rendimento
Processos que aproveitam 60% a 90% da madeira, pois só eliminam parte da lignina. As polpações de alto rendimento podem ser mecânica, termomecânica, quimimecânica, semiquímica e química de alto rendimento.
Polpações químicas
Processos de desfibramento da madeira por meio de reações químicas. Podem ser kraft ou sulfato, soda, ou sulfito.
Prelo
Sistema de prova de cores que utiliza o mesmo processo da impressão off-set.
Prensa
Conjunto de cilindros entre os quais passa a folha de papel em formação.
Prensagem úmida
Remoção da quantidade máxima de água da folha de papel, antes de submetê-la à secagem por calor.
Produção bruta
Quantidade do papel em rolos, no estado em que sai da enroladeira da máquina.
Produção líquida
Quantidade obtida em condições de venda, resultante do beneficiamento da produção bruta, nas diversas etapas de acabamento.
Produção teórica
Produção que a máquina teria, funcionando ininterruptamente durante certo período, sem quebra do papel. É calculada multiplicando-se a gramatura do papel pela largura da folha na enroladeira, pela velocidade e pelo espaço de tempo que se deseja medir. Normalmente é calculada em quilos por hora ou toneladas por dia.
Pulper
Equipamento empregado na separação de fibras de aparas e papéis velhos, bem como na homogeneização dessas fibras com materiais não-fibrosos, como aditivos químicos e cargas. Também chamado de desagregador.

Q

Quadricromia
Sistema de Impressão baseado em quatro cores.

R

Raspa
Lâmina fina que pode ser de madeira, aço ou plástico, colocada em alguns rolos da máquina, na direção do comprimento do rolo e em ângulo determinado, com o objetivo de limpar ou de não permitir que a folha contínua se envolva no rolo. O mesmo que raspadeira.
Raspadeira
Lâmina fina que pode ser de madeira, aço ou plástico, colocada em alguns rolos da máquina, na direção do comprimento do rolo e em ângulo determinado, com o objetivo de limpar ou de não permitir que a folha contínua se envolva no rolo. O mesmo que raspa.
Rebobinadeira
Máquina de acabamento que desenrola as bobinas feitas na enroladeira, cortando-as na direção longitudinal. Nessa etapa, o operador retira as partes defeituosas e processa as emendas necessárias, refazendo a bobina.
Rebolo
Nome dado à peça de material abrasivo existente nos desfibradores.
Rebolo
Nome dado à peça de material abrasivo existente nos desfibradores.
Reciclagem
Reaproveitamento das fibras de papéis velhos e aparas.
Recuperadores
Instrumentos que recolhem a água da drenagem da máquina de papel para devolver as fibras não utilizadas ao sistema e tratar a água que será utilizada novamente.
Refile
Operação de corte do impresso, que elimina rebarbas do papel, definindo o formato final.
Refilos
Tiras cortadas das beiradas dos rolos de papel bruto, nas rebobinadeiras, e das folhas guilhotinadas.
Refinação
Processo mecânico em meio aquoso que dá continuidade à operação de separação das fibras.
Refinadores
Equipamentos que completam a operação de desfibrar e homogeneizar a massa.
Refugo
Impurezas contidas nas pastas, com dimensões maiores que as fibras. O mesmo que rejeito.
Registro
Posição exata da sobreposição das cores de impressão.
Rejeito
Impurezas contidas nas pastas, com dimensões maiores que as fibras. O mesmo que refugo.
Relevo
Marca saliente do impresso gerada pela prensagem de uma matriz com a mesma saliência.
Resíduos de exploração
Galhos, ramos, cascas e folhas das árvores das quais foram cortadas as toras.
Retenção
Operação de remoção dos finos da massa.
Retícula
Padrão de pontos utilizado para gerar variação de tons na impressão.
Reversão da cor
Expressão que indica perda da alvura da massa ou do papel, com o passar do tempo.
Rolo bailarino
Rolo revestido com uma tela fina que, girando suavemente sobre a folha úmida, entre as caixas de sucção, pode melhorar a formação do papel, gravar marcas d'água ou proporcionar um acabamento como o Vergé.
Rolo cabeceira
Primeiro rolo da mesa plana da máquina de papel e um dos que sustentam a tela formadora.
Rolo de sucção
Rolo de corpo perfurado, que, devido ao vácuo interior, suga a água encontrada em sua superfície. Presente na tela, na prensa de sucção, na prensa lava-feltro ou de sucção de feltro. O mesmo que sulgador.
Rolo pegador
Destaca da tela a folha úmida de papel e leva para o setor de prensas.
Roseta
Padrão geométrico do posicionamento dos pontos de retícula que viabiliza a reprodução da gama de cores.
Rotogravura
Sistema de impressão que utiliza como matriz um cilindro metálico cujo grafismo é gravado em baixo-relevo, permitindo a impressão em diferentes materiais.
Rotor
Parte giratória do desagregador.
Rough
Rascunho, primeira concepção de um lay-out.

S

Sacudidor
Equipamento colocado no início da máquina de papel, para provocar um movimento transversal na mesa plana. Este movimento é também conhecido como shake.
Sangramento
Área impressa além do corte a fim de evitar falhas no acabamento.
Secagem
Operação de redução da umidade contida nas pastas, por processo de evaporação, para cerca de 40% a 60%, a fim de possibilitar seu transporte e estocagem.
Secaria
Parte da máquina de papel onde ficam os cilindros secadores.
Serigrafia
Sistema de impressão que utiliza como matriz uma malha fina que permite a passagem de tinta apenas nas regiões do grafismo.
Sugador
Rolo de corpo perfurado, que, devido ao vácuo interior, suga a água encontrada em sua superfície. Presente na tela, na prensa de sucção, na prensa lava-feltro ou de sucção de feltro. O mesmo que rolo de sucção.
Sulcagem
Marcação dos pontos do solo onde serão plantadas as mudas de árvores.
Supercalandra
Máquina de acabamento, independente da máquina de papel, que consiste essencialmente em uma série de rolos superpostos, entre os quais passa a folha contínua de papel, com a finalidade de lhe proporcionar, em ambas as faces, um grau de lisura e brilho.

T

Talhadia
Corte de árvore a cada 5 ou 8 anos, durante um período de cerca de 20 anos.
Tall-oil
Subproduto da madeira, obtido no processo kraft de coníferas.
Tanque de descarga
Tanque usado para receber as descargas dos cozinhadores.
Tela
Tecido sem emendas, fabricado com uma liga especial de bronze fosforoso e fibras sintéticas, onde se forma a folha contínua de papel.
Tipografia
Tipografia Sistema de impressão que utiliza matriz metálica plana em alto-relevo.
Tora
Tronco de madeira, sem galhos, cortado em pedaços uniformes.
Traçamento
Segmentação da árvore em toras.
Traço
Área de impressão sólida.
Trapping
Sobreposição de uma pequena área na junção de dois campos de cores diferentes.

V

Verniz
Película protetora aplicada sobre o impresso para proteger e/ou dar brilho.
Verniz UV
Tipo especial de verniz aplicado com uso de Ultra Violeta que proporciona acabamento aprimorado.
Vinco
Esmagamento de um trecho do papel executado antes da dobra.